A contribuição dos Kata do Karate na saúde e qualidade de vida de grupos populacionais

Resumo do artigo “A contribuição dos Kata do Karate na saúde e qualidade de vida de grupos populacionais”


Introdução

A palavra Kata vem do japonês, 型 ou 形, e (em ambos os casos) significa forma, modelo, (molde, padrão). Segundo Funakoshi (1975, p. 21), (é um) “exercício formal”. Além disso, caracteriza um estilo [...] (de Karate).

O Kata é a essência de uma arte marcial (e) deve ser sempre mantida nas suas projeções, mesmo que, no decorrer do tempo, as coisas mudem com o modernismo. [...]


Kata: um Meio Didático.

Os Kata têm a função de filtrar [...] o que deve ser melhorado, ou seja, é através da execução de um Kata, em períodos diferentes, que notamos o quanto (melhoramos... ou não) [...].

[...] O praticante de Kata deve ter (a) compreensão dos significados de cada gesto desenvolvido; assim, há uma interação do movimento com as capacidades físicas expressadas pelo corpo. [...]

[...] Podemos compreender o movimento humano, gerado pelo Kata, como consequência da interação entre os músculos e as forças externas impostas [...].

[...] Os Kata são organizados por linhas gráficas, chamadas de 演武線, Enbusen, que literalmente significa “linha de execução”, e que fazem com o que o atleta execute a sequencia de movimentos do Kata e retorne [...] (a um) ponto (próximo ao ponto) de partida.

[...] Toda produção de movimento, gerado pelo Kata, caracteriza uma batalha imaginária onde os oponentes desferem (diversos tipos de) golpes [...].

A prática do Kata, sendo imaginada desta maneira, produz uma técnica eficaz. E, além disso, devemos treinar os Kata com todos os recursos das capacidades físicas e dos fundamentos, pois assim o indivíduo transforma o corpo em uma arma [...] que, ao final, (quando feita de forma correta e moderada), traz resultados de longevidade com qualidade de vida.

[...] Os Kata se dividem em básicos e avançados. Os Kata básicos trabalham a movimentação para frente e para trás, esquerda e direita. Os Kata avançados inserem além de esquerda e direita, para trás e para frente, giros, rotações, saltos, avanços e recuos (FUNAKOSHI, 1988).

[...] A prática constante de um mesmo Kata representa o desenvolvimento das técnicas, das capacidades físicas e do conhecimento pleno sobre o assunto. O conhecimento eficaz de um Kata avançado espelha-se sobre todos os outros Kata.

[...] Alguns pontos importantes [...]:

  1. A harmonia entre o movimento do Kata e o seu significado deve permanecer constantemente. Com isso, os gestos do Kata tendem a ganhar toda a energia produzida pelas capacidades físicas, sendo intercaladas pela respiração;
  2. Deve-se levar em conta a linha gráfica do Kata (Enbusen), pois foi desenvolvido segundo uma técnica que inclui o desenvolvimento das capacidades físicas e dos fundamentos;
  3. Ao desenvolver os movimentos de um Kata, procure compartilhar as contrações e descontrações, pois estas habilidades motoras dão ritmo para o Kumite, ou seja, para a luta real. [...]


Kata: Aptidão Física Relacionada à Saúde

[...] As evidências científicas relatam que o desenvolvimento da aptidão física aumenta a longevidade, afastando os fatores de risco como a hipertensão, a obesidade e o sedentarismo, gerando saúde e uma maior qualidade de vida.

[...] Com a prática dos Kata, de 3 a 5 vezes por semana nas aulas de Karate, os indivíduos melhoram seus níveis de aptidão física, e sua classificação em relação à atividade física habitual, mudando a sua categoria de inativo para moderadamente ativo, ou para ativo, ou para muito ativo. Segundo Nahas (2001), a faixa ideal seria o nível ativo.

[...] Também se pode afirmar que devem ser realizadas atividades físicas paralelas à prática do Karate, com a intenção de melhorar os níveis da Aptidão Física Relacionada à Saúde.

Outra perspectiva de saúde que a prática das atividades relacionadas ao Karate proporciona, em específico o Kata, é a contribuição para as atividades da vida diária em grupos de terceira idade.

(A) prática dos Kata [...] desenvolve hábitos posturais e auxilia o fortalecimento da musculatura. Em idosos, o fortalecimento muscular contribui para a prevenção da osteoporose e riscos de queda, gerando bem-estar geral e autonomia.
Kata: Flexibilidade e Saúde

Nieman (1999), Nahas (2001) e Achour Júnior (2002), destacam a flexibilidade como um dos componentes da Aptidão Física Relacionada à Saúde de maior importância, pois o corpo humano é interligado por ossos gerando articulações, tais como: a coluna cervical, ombro, cotovelo, antebraço, punho, quadril, tronco, joelho e tornozelo.

[...] A prática dos Kata do Karate desenvolve a flexibilidade em todas as partes do corpo humano, e com isso o indivíduo terá maior mobilidade para mover-se com facilidade.

[...] A execução correta dos movimentos dos Kata básicos e avançados proporcionam, aos alunos, movimentos em diferentes ângulos realizados pelas diferentes articulações do corpo humano.

Indivíduos que possuem uma amplitude de movimento, ou seja, uma boa flexibilidade, movem-se com maior facilidade, desempenhando maior quantidade de movimentos durante a vida, com qualidade de execução.

[...] Com relação ao desenvolvimento da arte marcial, em particular o Karate, a flexibilidade auxilia no desenvolvimento das técnicas necessárias para o bom andamento da arte, pois [...] seriam impossíveis sem a eficiência da flexibilidade. Além disso, a flexibilidade contribui para a economia de energia, proporciona melhoria para o desenvolvimento de outras capacidades e habilidades motoras (agilidade, força, velocidade).


Considerações Finais

Conforme descrito nesse artigo, muitos são os benefícios que os movimentos existentes no Kata proporcionam para crianças, adolescentes, adultos e idosos na melhoria da saúde e qualidade de vida. [...]


Referências

ACHOUR JÚNIOR, A. Exercício de alongamento: anatomia e fisiologia. Londrina: Manole, 2002.

ENOKA, R. M. Bases neuromecânicas da cinesiologia. São Paulo: Manole, 2000.

FUNAKOSHI, Gichi. Karatê-do – O meu modo de vida. São Paulo: Cultrix, 1975.

FUNAKOSHI, Gichi. Karatê-do Nyumon. São Paulo: Cultrix, 1988.

NAHAS, M. V. Atividade física, saúde e qualidade de vida. Londrina: Midiograf, 2001.

NIEMAN, D. C. Exercício e saúde. São Paulo: Manole, 1999.


Autor: Mario Molari (Docente do curso de Educação Física da Universidade Norte do Paraná (UNOPAR). Especialista em Atividade Física, Qualidade de Vida e Envelhecimento pela UNOPAR.e-mail: mario.molari@unopar.br)


Notas: Devido o fato do autor não apresentar os Kanji e não utilizar nenhum sistema de romanização para os termos japoneses, algumas palavras foram alteradas, em composição e em significado, ao longo do texto. Da mesma forma foram feitas algumas alterações/complementações para tornar o texto válido para todos os estilo de Karate.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.