Kūshudō... alguém já ouviu falar?!


Para nós ocidentais a língua japonesa pode ser, de fato, um "problema”, sobretudo quando praticamos alguma arte marcial que inclui em sua “formatação” a utilização de termos japoneses como algo obrigatório. 

Sendo assim, mesmo que a língua japonesa não faça parte dos nossos interesses quando escolhemos, por exemplo, o Karatedō para praticarmos, este idioma torna-se com o passar do tempo objeto de estudo, nem que seja direcionado apenas para esclarecer os assuntos relacionados a arte que elegemos para praticar. 

Um fato para o qual poucos atentam, ou mesmo desconhecem, é que os ideogramas japoneses possuem basicamente duas formas leitura, são elas: 
  • On’yomi, 音読み - Leitura fonética chinesa utilizada pelos japoneses (ou seja, é como os japoneses "ouvem" a palavra falada em Chinês); 
  • Kun’yomi, 訓読み - É a leitura das palavras nativas japonesas associadas aos ideogramas chineses. 
Outro fator desconsiderado é que, assim como na língua portuguesa, existem regras na língua japonesa que devem ser seguidas. 

Para que se entenda o que queremos dizer, vamos utilizar o termo Karatedō como exemplo, mostrando como são lidos os Kanji (ideogramas) que compõem esta palavra e suas respectivas leituras dentro das formas que foram mencionadas acima: 

空 - "vazio(a)" 
On’yomi: Kū 
Kun’yomi: Kara 

手 - "mão(s)" 
On’yomi: Shu 
Kun’yomi: – Te 

道 - "caminho(s), via(s)" 
On’yomi: Dō 
Kun’yomi: Michi 

Agora que já conhecemos os Kanji, significados e leituras possíveis do termo Karatedō, abordaremos algo que poderá soar estranho até mesmo para praticantes muito experientes... 

Existem regras que devem ser seguidas por todos que querem tratar sobre termos japoneses em seus trabalhos, sites, blogs, etc... 

Entre estas regras:
"Palavras compostas por dois ou mais ideogramas deve-se utilizar a forma On’yomi de leitura" e "palavras utilizando ideogramas isolados, devem usar a forma Kun’yomi de leitura". 
Como a palavra Karatedō é composta por três ideogramas, 空手道, e a regra nos diz: "palavras compostas por dois ou mais ideogramas deve-se utilizar a forma On’yomi de leitura"... a palavra Karatedō é, de fato, em japonês correto, lido como Kūshudō

Vejamos os seguintes exemplos onde se usam as formas On’yomi para as seguintes artes marciais japonesas: 
  • 柔道 Jūdō (On’yomi), decompondo a palavra: yawara + michi (Kun’yomi) 
  • 剣道 Kendō (On’yomi), decompondo a palavra: tsurugi + michi (Kun’yomi) 
  • 弓道 Kyūdō (On’yomi), decompondo a palavra: Yumi + michi (Kun’yomi) 
  • 拳法 Kenpō (On’yomi), decompondo a palavra: Kobushi + nori (Kun’yomi) 
  • 忍法 Ninpō (On’yomi), decompondo a palavra: Shinobi + nori (Kun’yomi) 
Todas as artes tradicionais japonesas que conhecemos têm nomes em On'yomi... contudo - por mais estranho que isso possa parecer - no caso do Karatedō isso não é assim. O Karatedō é a única arte que usa uma mistura das formas Kun’yomi e On'yomi de leituras para os ideogramas! 

Seguindo a linha de raciocínio acima, a palavra Karatedō deveria ser transcrita da seguinte maneira: 

空手道 Kūshudō (On’yomi), decompondo a palavra: kara + te + michi (Kun’yomi) 

Mas por que será que o Karatedō é diferente?! 

Não temos, até ao momento, nenhuma explicação oficial para isso! 

Fica no ar a questão... 

Osu! 
Denis Andretta 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Destaque

Entrevista com Kenzō Mabuni

Kenzō Mabuni 1. Quando teu pai começou a praticar Karate? Quando tinha 13 anos.  2. Quem foram seus professores? Itosu Sensei e Hig...